Assim na Terra como no Céu

Assim na Terra como no Céu
As Above, so Below --- Assim na Terra como nos Céus

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Duas Lições

Duas Lições


Olá Irmãos. Aqui fala um espírito desencarnado, na verdade um espírito que há muito já não é humano da Terra. Fui um espírito que veio para este planeta, mas antes daqui habitei em outros. Longe de nosso sistema solar, longe do conhecimento humano de hoje. Digamos, um pequeno ponto no mapa celestial.

Fui alertado para ir passando as informações calmamente, pois nosso auxiliar está digitando essas “sensações” no teclado. É assim que nos comunicamos. Ele não perde o sentido, usa seus sentimentos e imagens mentais para passar o que eu quero dizer. Bem, aqui, hoje, temos duas instruções importantes para passar a vocês. A primeira é: realmente vai acontecer algo com o mundo? E o que devemos fazer?

A resposta parece bem mais simples do que parece. Aqui nesta sala, hoje, quem está perfeitamente certo que vai acordar amanhã? Vivo, disposto, abençoado com a energia divina irradiando em seu corpo carnal? Ninguém. Quem pode aqui afirmar que não terá um derrame, daqueles bem sem explicação, e a partir da próxima manhã passar anos vegetando ou gemendo sem controle muscular? Ninguém. Não estou praguejando ou dizendo que isto irá acontecer, estou afirmando que está é uma decisão divina, única e exclusivamente. É o seu contrato direto com Deus. O seu contrato e seu contato, e isto é o fator determinante quando falamos do livre arbítrio. Só você detém o conteúdo deste contrato. Pode compartilhar com outros, mas somente se quiser.

Portanto, hoje à noite pode ser o fim do mundo. O seu fim do mundo. Isto vai significar o fim do mundo para todas as outras pessoas? Não, a vida continua com manhãs ensolaradas, manhãs de chuva, dias quentes, dias frios. E o que acontecerá contigo é resultado do que fizeste em nome do Amor Fraternal, pois a única Lei deixada para nós é esta: AMAR. Amar a Deus, amar a todos, ter apenas amor.

Agora, imaginem-se num carro, você dirigindo teimosamente, com sono, mas dirigindo. Um cachorro passa desavisadamente em frente ao carro, e devido ao seu reflexo lento, pelo cansaço, você desvia bruscamente, fazendo o carro cair numa vala perto da estrada, ferindo seus colegas de viagem. Uma condição sua afetou o destino de mais pessoas. Elas, num plano mais elevado, concordaram com essa experiência coletiva, estavam como espectadores, vendo qual seria sua decisão. Sua capacidade de julgamento interferiu na vida de outros. É o livre arbítrio novamente agindo em você.

Da mesma maneira, estamos “de carona” no planeta Terra. Nossas ações interferem na sobrevivência deste planeta, interfere na maneira de como viveremos, mais calmamente ou mais violentamente. A Terra é um ser vivo, é o resultado da soma de todos nós, encarnados e desencarnados, que estamos por aqui. Este mecanismo gera uma tensão. Como o cachorro gerou uma reação inesperada em você no carro, e não pôde ser diferente porque você estava cansado e sem forças, o movimento pode ser brusco da Terra para se livrar de densas sensações, e este movimento pode machucar muitas vidas, encarnadas e desencarnadas. É o livre arbítrio da Terra. Fala-se em fim do mundo, não é isso. É como uma morte pessoal, é o final de uma etapa. Para o Planeta é bem diferente do que para uma pessoa. Ela se limpa, se regenera. Ou violentamente, pelo fogo, água, descargas elétricas – e isto se parece mesmo com o apocalipse, ou pode ser renovada por energias mentais, geradas por todos vocês, melhorando o “astral” da terra. Parece loucura, mas é um jeito de evitarmos um mal pior. Da mesma forma que evitamos a idéia de um enfarte ou morte súbita cuidando de nossa saúde. Temos que cuidar da nossa saúde mental, nossa saúde espiritual, ajudar a cuidar da saúde espiritual do planeta Terra. Não é piada. A Terra é um ser vivo, o governador é Jesus Cristo, ela é Jesus Cristo. Entendam isso.

A resposta para o que pode acontecer ao mundo é isso: depende. Do livre arbítrio dela, das nossas ações e pensamentos. Do nosso livre arbítrio, da expansão do nosso AMOR. Por isso, não há data nem previsão de um futuro lindo ou aterrador. Depende de todos nós. O único conselho que se pode dar é: vivenciem o AMOR. O fim do mundo, só Deus sabe. Mesmo. Para nós, resta mantermos a calma, continuarmos vivendo serenamente, buscando viver melhor a cada instante (não é fácil viver este AMOR).

A vibração do Amor trará uma vivência mais alegre. O mundo será evoluído, será melhor, terá uma compreensão na verdade, os programas televisivos serão mais elevados, como toda pessoa. O mundo não será perfeito, mas as vibrações serão bem melhores. Todos os espíritos serão convidados a entrar num programa de regeneração voluntário. Os espíritos que quiserem, receberão ajuda e estarão aptos a trabalhar pela humanidade, na evolução dela. Os espíritos que não quiserem, irão embora daqui. O planeta Terra decidiu há tempos que não suportava mais esta carga de negatividade. Portanto, não está expulsando ninguém, está expulsando a negatividade. Quem evoluir, quem brilhar, fica. Agora, quem não quiser mudar, vai para outros planetas, onde terão todo o tempo do universo para melhorar. Deus é bom para com todos, pois todos são parte Dele.

Como podem ver, o sofrimento não veio de Deus, ele está oferecendo amor, bondade, compreensão, evolução. Como um pai carinhoso, sorri para as birras do filho, que não tem maturidade suficiente para ver as criancices que está fazendo. O pai ri e o protege amorosamente.

Portanto, terminando a primeira instrução, não há Deus vingativo, punitivo, seletivo, julgador. Deus é puro Amor. Está acima de qualquer sensação humana, e por isso não age de acordo com as reações humanas. Como pode Deus amar de forma desigual dois seres? São os seres que se colocam de forma desigual ante Ele. São evoluções distintas, caminhos diferentes. Deus nos vê como o pai frente à criança birrenta, cada um com sua birra. Até que evolui, e consegue entender o amor do pai. E então vive em paz. Quando entendermos essas sensações, entendermos o Amor de Deus, não seremos mais humanos, estaremos além da reencarnação, seremos algo mais além disso – podem chamar de anjos, querubins, arcanjos, seres de luz, o que for, mas estaremos um passinho mais perto de Deus. Ainda assim seremos irmãos, todos nós, pois somos parte de Deus.


Esta é a segunda parte, a segunda instrução.


O meu nome? Não importa. Já fui comido por leões, já matei jogando uma lança no peito de outro homem, já alimentei uma criança no meu peito, sim, já fui mãe, já fui pai, já fui famoso, fui miserável, chorei, sorri, fui sufi, mongol, africano, marroquino, europeu, chinês. Amei, odiei, aprendi pelo sofrimento porque não enxerguei o caminho do Amor. Aprendi pelas perdas porque não quis somar. Até que me libertei desses sentimentos. E me libertei da roda da reencarnação humana. Mas não da solidariedade, do apoio, do meu voluntarismo para ver todos os humanos se elevarem junto com as energias da Terra.

Sou um dos milhões de voluntários que estão em volta da Terra neste momento, em naves espaciais – nada parecido com os filmes americanos – naves existentes em outras dimensões, ajudando na limpeza energética da Terra. Somos como uma grande equipe de prestação de serviços de limpeza. Só que uma limpeza mais específica. Ajudamos a limpar a mente das pessoas, quando pedem ou são amparadas para isso, limpamos as ruas, prédios, casas e estradas de “restos” de pensamentos deixados pelos humanos – vocês não imaginam a quantidade de “lixo” que um ser humano pensa por dia, limpamos as regiões densas, quando solicitado ou permitido. Auxiliamos no transporte das pessoas que enxergam a luz depois de longo tempo no escuro, ajudamos no transporte desse dejeto todo que coletamos.

Não se preocupem. Não portamos armas com raios desintegradores nem temos anteninhas na cabeça. Cultivamos o Amor a Deus. Não somos perfeitos. Buscamos viver cada vez melhor, como todos vocês. Este é o nosso modo de viver. Viver em Deus, buscar a Sua harmonia conosco e dentro de nós. Nós, os voluntários, fomos chamados porque na Terra poucas pessoas estavam conseguindo efetuar as limpezas energéticas. As pessoas ao redor do mundo começaram a ficar agarradas a uma densa camada de sentimentos. Como uma mosca que se prende a uma teia, e quanto mais se mexe mais fica presa, assim estava o homem, tentando se livrar de baixas sensações mas se enredando cada vez mais nessas vibrações. Mas as preces e os pedidos de socorro foram atendidos, e vários povos e civilizações celestiais se tornaram voluntários para efetuar uma limpeza na Terra.

Há muito tempo, em distantes pontos do universo, os planetas se regeneram, se livram do lixo, separam o joio do trigo e continuam seu processo evolutivo. Isto sempre é feito de forma drástica e já ocorreu assim na própria Terra. O que está chamando a atenção do universo neste instante é a capacidade de ascensão, elevação, evolução, pela simples força dos pensamentos superiores. Isto é raro, e demonstra a capacidade de todos que estão vivendo hoje no planeta Terra. Já são considerados vencedores, são comentados em diversos “sóis” como heróis. Veja que interessante. Se o bandido, escondido lá no cativeiro, se arrepende, foge, permite a fuga do seqüestrado, e um fim dramático é substituído por lágrimas de alegria, este bandido está fazendo a parte dele na elevação do pensamento de amor, na elevação do nível vibracional de todo o planeta.

Não podemos julgar o porquê dos atos desse bandido, mas houve força suficiente, e força do bem, para que o cenário se alterasse para um desenrolar dos fatos de forma pacífica. Este bandido está fazendo mais do que um pretenso “doador”, que desvia alimentos para uso esquivo, ou aquele que se diz amigo dos pobres, visita lares, mas em casa os xinga, por não ver outro caminho para entrar na política, por isso usa da caridade como trampolim pessoal.

Não conseguimos em vestimentas humanas descobrir onde está o lobo em pele de cordeiro, por isso deixemos de julgar as pessoas. Nossa percepção da realidade é muito superficial, não temos conhecimento aprofundado para falarmos com segurança que isto ou aquilo está certo ou está errado. Mais uma vez repito: nossa única lição aqui na Terra é AMAR. A Deus e a todos. Não precisamos julgar, não devemos julgar.

Amando, a energia do planeta Terra se transforma, se transfigura, e com isso poderemos viver melhor, em harmonia, sem sofrimento, sem doença atrapalhando a boa saúde.

Muita gente deve estar se perguntando como fazer isso. Outros devem estar falando: é fácil dizer palavras lindas, mas não consigo viver neste mundo de paz imaginário, quando tenho que pagar aluguel, correr feito um louco, aturar essa dor dentro de mim, etc. É verdade, não é muito fácil para ninguém. É isso que estamos sendo testados, exatamente isso. Como a expressão “tirar leite de pedra”, é preciso compreender o que aflige e transformar isso tudo em expressão de amor. O amor de Deus é incondicional e ilimitado, nós é quem achamos que não merecemos as bênçãos superiores. Com a bênção de Deus, tiramos leite, açúcar, feijão dinheiro de pedra. Essa fé inabalável nesta força é que faz a diferença, é o que precisamos aprender. Todos devemos aprender isso, e exercitar a força do amor.

Um bom exercício para melhorar é cortar a reclamação e o pensamento ruim. São vibrações que puxam para baixo. Então, quando começar a reclamar ou se lembrar de um acontecimento ruim, que fica remoendo, pense um pouco mais fundo. Não é para tentar bloquear o pensamento, porque nossa mente é poderosa, e teimosa. Pense no que está reclamando, se é verdadeiramente necessário reclamar, ver e descobrir o que está desconfortável na situação, e começar a dirigir o pensamento na resolução do problema. Se for somente um pensamento ruim, ele para de existir. Se for um problema real, será encontrada uma solução.

Um exemplo, o caso do aluguel que tem que ser pago, com o pouco e suado dinheiro. Pagar o aluguel te irrita, mas lembrando um pouco mais atrás, não houve um momento de orgulho, de esnobismo, de tentar mostrar-se mais do que realmente podia, alugando algo mais caro que o possível, ou maior que o realmente necessário? Talvez seja um problema de ter feito uma opção mais cara que o possível, então o salário não dá mesmo. Assim, ou vem a conformidade que o dinheiro do mês oferecerá poucas opções, ou se faz nova opção de moradia dentro dos limites reais, ou então busca-se opções para aumentar o rendimento. O problema acaba, e surgem novas opções.

Assim, exercita-se o amor. Alimentar o problema é distanciar-se do amor; encontrar soluções, novas oportunidades, ter uma vida ativa e positiva, é viver em amor. Nada difícil, que apenas budas e santos conseguem. Assim evoluímos, transpondo obstáculos, tendo novos desafios e encarando com positividade.

Mais uma vez dizemos: não é preciso sofrer, viver em dor, pois a força divina é feita de amor, amor apenas, incondicional e ilimitado. É um jato incessante, nós é quem às vezes fechamos a torneira. Pouco a pouco, todos conseguirão viver em amor, pleno e divino amor, e sentir Deus em si, ser Deus sendo parte D’Ele.

 Esta é a segunda parte. Pensamos assim caros irmãos. Estamos auxiliando a todos, esperando ser bem próximo o dia que nos encontraremos frente à frente, para juntos darmos boas risadas, trocarmos histórias e passearmos neste imenso universo de Deus. Que as bênçãos celestiais derramem a energia do amor por todos vocês.

 Seu amigo, Surian.

2 comentários:

  1. SEGUNDO OS ENSINAMENTOS QUANDO DEUS NOS CRIOU FEZ A NOS A VOSSA SEMELHANÇA,EU SEI AMOR PAZ ,E ENERGIAS POSITIVAS ,POIS BEM SE EU SOU UM PAI DE MEUS FILHOS NÃO DEIXARIA DE FORMA ALGUMA QUE ELE PERDESSE,O CAMINHO DA LUZ ,PORQUE QUE AS FORÇAS NEGATIVAS NOS PEGOU NOS PRIMÓRDIOS?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nosso orgulho, nossa inveja, nossa possessividade, ou seja, a falta de amor, nos desviou de nossos caminhos puros e divinos. Não é um "castigo divino" ou omissão. É livre arbítrio. Apesar da vontade de um pai proteger um filho, o caminho traçado e as decisões são individuais. Podemos mostrar o caminho, não podemos andar pelos outros. E o caminho é evolução. E Deus espera, bondosamente, a todos, cada um em seu próprio ritmo.

      Excluir